segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Futuro da pandemia

 



O mundo temia o pior quando uma nova variante do coronavírus surgiu no fim de novembro e se espalhou pela África do Sul rapidamente. Dois meses depois, com a Ômicron dominando grande parte do planeta, a história mudou para algumas pessoas. A menor gravidade da Ômicron em comparação com variantes anteriores e a percepção de que todos provavelmente serão infectados uma hora ou outra contribuíram para um certo relaxamento das pessoas. Alguns  profissionais dentro da comunidade científica estão otimistas que a Ômicron possa ser a última fase da pandemia, fornecendo uma "camada de imunidade" para boa parte do mundo e se aproximando de um estágio endêmico similar a doenças sazonais, como resfriado ou gripe.

CNN

Risco de invasão

 


 Os Estados Unidos ordenaram a saída de familiares elegíveis de funcionários de sua embaixada na Ucrânia e disseram que todos os cidadãos devem considerar a saída em função da ameaça de ação militar da Rússia. "Em 23 de janeiro de 2022, o Departamento de Estado autorizou a saída voluntária de funcionários contratados diretos dos EUA e ordenou a saída de familiares elegíveis da Embaixada de Kiev por causa da contínua ameaça de ação militar russa", afirmou em comunicado. As tensões entre a Ucrânia e a Rússia estão em seu ponto mais alto, com um acúmulo de tropas russas perto da fronteira estimulando temores de que Moscou possa iniciar em breve uma invasão.

CNN

Orçamento 2022

 



O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou a Lei Orçamentária Anual de 2022, informou a Secretaria-Geral da Presidência da República. A sanção do texto, com vetos, foi publicada no Diário Oficial de hoje. O texto prevê um valor total das despesas em R$ 4,7 trilhões, dos quais R$ 1,9 trilhão é referente à dívida pública. Além disso, o orçamento estima um déficit primário de R$ 79,3 bilhões, montante inferior ao previsto inicialmente pelo governo federal, de R$ 170,5 bilhões. A informação foi antecipada pelo analista de política da CNN, Gustavo Uribe. Segundo auxiliares da equipe econômica, a projeção foi reduzida diante do aumento, pelo Congresso Nacional, das previsões de receitas primárias.

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Diretor do Jornal "O Pioneiro" (Santa Fé) visita Hvini Vasos em Sarandi-PR

Nesta terça-feira(18), o diretor Marcelo Soares da Silva do jornal "O Pioneiro" de Santa Fé e região em visita às dependências do Viveiro Hvini Vasos e Plantas de Sarandi-PR, demonstrou sua satisfação em ver tantos vasos e plantas no mesmo ambiente e tudo produzido naturalmente, inclusive os vasos fabricados artesanalmente.

Com certeza não deixou de adquirir um Kit de vasos de sua preferência.

A Hvini Vasos é claro com muita honra agradece a presença de Marcelo do jornal O Pioneiro, abrangente em várias cidades de nossa região esperando com certeza seu retorno de portas abertas.

Paraná tem mais de 70% da população completamente imunizada contra a Covid-19



Nesta terça-feira (18) o Paraná completa um ano do início da vacinação contra a Covid-19. A aplicação das primeiras doses do imunizante CoronaVac/ Sinovac (parceria com o Instituto Butantan) em janeiro de 2021 foram em em oito profissionais de saúde da linha de frente do Complexo Hospitalar do Trabalhador, em Curitiba. Até o momento já foram aplicadas mais de 19 milhões de vacinas na população geral, sendo que mais de 70% da população já recebeu as duas doses ou dose única, e mais de 80% já tomaram a primeira.

 

Foram destinadas cerca de 9.099.905 de vacinas para a primeira dose e 8.397.774 para a segunda dose ou dose única. Com isso o Paraná é o sexto Estado com o maior número de aplicações.  As doses de reforço em idosos e imunossuprimidos já contabilizam 1.664.602 aplicações. Em relação à dose adicional, para imunossuprimidos que receberam mais uma dose, além das duas normais ou dose única, foram aplicadas 141.868. Os dados constam no sistema do Ministério da Saúde, atualizado em tempo real pelos estados, portanto, pode haver algumas divergências.

 

“Nós conseguimos ultrapassar os momentos difíceis por causa da vacina. Senão, teríamos perdido a vida de muitos paranaenses”, disse o secretário estadual de Saúde, Beto Preto. Ele ressaltou o alto índice da vacinação no Estado que contribuiu para redução na ocupação de leitos, número de mortes e incidência de casos graves.

 

O índice de internamento em UTI há um ano era de 84% (1.199 leitos). Já o último boletim do Estado mostrou ocupação de 56% em 477 leitos. Apesar da nova onda ligada à Ômicron, a média de óbitos diária é de 2, contra 28 em janeiro de 2021. Em janeiro do ano passado foram 1.936 mortes. Em dezembro, 120, diminuição de 93,8%. “A vacina é fundamental. Quem não toma vacina está vulnerável, vira uma presa fácil dos vírus. Começa a ocorrer uma seleção natural e o vírus vai tentando se reproduzir através da infecção, e ele vai procurar o hospedeiro que tenha menos imunidade. Quem não tomou vacina está com menos imunidade que os outros nesse momento”, destacou o secretário.

 

Ainda nesta terça-feira (18) o Paraná receberá um dos maiores lotes da vacina Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 desde o começo da campanha, com aproximadamente 735.930 vacinas que serão doses de reforço (DR) para a população acima de 18 anos.

 

Fonte: Agência Estadual de Notícias